Fibromialgia-descrição e tratamento

Síndrome da fibromialgia-FMSFibromialgia é um sofrimento não-inflamatória, que consiste na dor crônica, difuso espalhado por todo o corpo, associado com limiar de dor reduzida e a presença de alguns pontos específicos, pressão dolorosa e uma infinidade de outros sintomas: fadiga, disfunção cognitiva, distúrbios do sono, ansiedade, depressão, etc.

Ao contrário de outras doenças reumáticas, dor na fibromialgia não é localizado estritamente às junções e não é acompanhada de articulação inchaço a menos que ocorre em um paciente com um concomitante de doença reumática inflamatório (por exemplo, artrite reumatoide).

Embora a fibromialgia não é uma doença nova, um longo tempo considerou um reumatismo psihogenic baseado em transtornos mentais não tratados. Somente em 1976, introduz o termo Fibromyalgia Hench, a partir do termo fibrozita usado por Gowers, em 1904, para descrever os doentes que sofrem de dor de resimteau com o toque de luz em alguns pontos, na ausência de um local de inflamações. Posteriormente a localização anatômica é descrita nestes pontos dolorosos irão tornar-se critérios para a classificação da doença.

Dor-tudo-sobreFibromialgia tem algo em comum com um número de outros sofrimentos, com quem ele está associado, tais como: Síndrome da fadiga crônica, síndrome do intestino irritável, enxaqueca, dismenoreea, como parte de um grupo de doenças caracterizadas por sensibilização central.
Processo de sensibilização central envolve uma alteração dos mecanismos da dor no sistema nervoso central de processamento. Isso resulta em um aumento da sensibilidade à dor, que se traduz em aparência clínica hiperalgeziei (dor desproporcionalmente grande garota liberador de estímulo doloroso) e alodiniei (dor desencadeada por um estímulo que não é prejudicial e normalmente não causa dor-ex. tocar).

Pontos dolorosos da fibromialgia são na verdade uma manifestação de alodiniei, o paciente descreve dor na pressão aplicada pelo médico em determinadas áreas do corpo. Ambos hiperalgezia e alodinia baseiam-2-senibilizarea e mecanismos periféricos. Sensibilização periférica envolve um aumento da sensibilidade receptores periféricos (por exemplo, couro) a dor-como acontece, por exemplo, quando queimamos a pele.

Sensibilização central envolve um aumento na sensibilidade e emocionante de neurônios do sistema nervoso central. Isto pode ser devido à maior liberação de substâncias estimulantes como a substância P, glutamato, aspartato (que leva ao aumento dos níveis de cálcio dentro da célula nervosa) e também diminuir a quantidade de produtos químicos com papel inibitório da dor como GABA (ácido aminobutírico gaba-ácido) ou serotonina.

Mudanças funcionais no cérebro do paciente com fibromialgia têm sido estudadas nos últimos vezes usando técnicas modernas de neuroimagem, como a ressonância magnética (MRI) e a tomografia por emissão de pósitrons (PET), enfatizando a múltiplas anomalias das terras descendentes da dor (aqueles que vão para o cérebro em direção a periferia), bem como a redução do fluxo sanguíneo e a atividade neural em certas áreas do cérebro envolvidas no processamento da dor.

Além disso, há uma conexão entre dor crônica e distúrbios do sono. Estudos eletroencefalográficos realizados durante o sono, eles mostram que em pacientes com fibromialgia, má qualidade de sono (não-REM-sono sem sonhos, interrompida onde alfa) está associado com dor persistente, intepeneala, enfatizou.

Verificou-se que os pacientes com fibromialgia têm uma disfunção da glândula hipotálamo-hipófise-adrenal. As três estruturas (hipotálamo, hipófise e glândulas supra-renais), baseadas em hormônios, estão envolvidos no controle da resposta do organismo ao estresse. Pacientes com fibromialgia têm uma baixa resposta ao eixo estresse, traduzido por baixos níveis de cortisol e hormônio do crescimento.

As causas não são totalmente conhecidas. Tem sido observado que muitos pacientes com fibromialgia relatam o aparecimento dos sintomas após um evento traumático ou estresse físico. Há também uma tendência para a agregação de doença, de apoio à família, especialmente na linha nativa. Havia alguns agentes infecciosos e incriminati como gatilhos, mas a conexão entre eles e a doença não poderia ser demonstrada.

Fatores de risco são do sexo feminino, idade (ocorre mais comumente entre 20-55 anos, mas a prevalência aumenta com a idade), histórico familiar, estresse psicossocial, artrite reumatoide-coexistência de doenças inflamatórias, Lúpus eritematoso sistêmico, etc., a presença de transtornos mentais, lesões físicas.

Tabela de conteúdos

  • Descrição de fibromialgia-geral
  • Fibromialgia: sintomas
  • Investigações Radioimagistice e laboratório
  • O diagnóstico de fibromialgia
  • Tratamento
  • Fibromialgia: Evolução, complicações
  • Recomendações médicas

Fibromialgia: sintomas

A principal manifestação da doença é dor. A doença começa lentamente, inicialmente, sendo apenas uma dor localizada (coluna cervical, lombar), mais tarde se tornar difusa. Esta dor difusa afeta ambos os lados do corpo, tanto a parte superior e inferior, incluindo e o esqueleto axial. Dor não segue uma distribuição típica em um certo território nervoso mas pode ser acompanhada por distúrbios da sensibilidade (dormência, formigamento, sensação de calor ou frio, hora local). A dor de osso ou músculo doente atribuído, notando uma piora de estresse, esforço físico, falta de sono, as alterações climáticas. Sintomas podem ser exacerbados pela manhã, acompanhado de redoare, intepeneala de manhã e depois descanso prolongado que pode ser mais de 1 hora, artropatias inflamatórias semelhantes. Fadiga pode dominar o quadro, com o sono não-refrescante. Geralmente, os sintomas são de intensidade variável, mas tendem a tornar-se mais pronunciada, marcado levando a impotência funcional, afetando a vida social normal. Enquanto o paciente pode associar transtornos do humor, ansiedade e depressão.

De acordo com intenstitatea esses três sintomas-dor, ansiedade e depressão, um estudo realizado em 2003 pela Giesecke e colaboradores, pacientes com fibromialgia divididos em 3 categorias:
1) aqueles com os menores níveis de sensibilidade à pressão com alto limiar de dor, ansiedade moderada e depressão
2) aqueles com aumento da susceptibilidade e aumento dos níveis de ansiedade, depressão
3) aqueles com maior suscetibilidade à dor, mas com bom controle da dor e baixos níveis de ansiedade e depressãolarge_fibromyalgia01

Outras manifestações clínicas associadas são variadas e estão interessadas em vários órgãos e sistemas do corpo:
-sistema digestivo: náuseas, acidez gástrica, pronuncia-se distúrbios do trânsito intestinal-diarreia, constipação, dor abdominal crônica, distensão abdominal, vômitos
-Sistema genito-urinário: dor pélvica crônica, cistite (inflamação de parede da bexiga), micções frequentes comum, dolorosa, na ausência de outras causas de dor durante a menstruatiilor
sistema cardio - respiratório e vascular periférico: dor torácica não cardíaca, pulso rápido, distúrbios respiratórios durante o sono, síndrome de Raynaud
-Olho-vista transtornos, secura ocular
-neuropishic-enxaqueca, dores de cabeça crônicas, distúrbios do sono, dificuldade de concentração e memória transtornos, depressão, ansiedade, síndrome das pernas inquietas, etc.
-pele-pele seca, prurida, erupção cutânea e regue.

Investigações Radioimagistice e laboratório

Não há nenhum laboratório ou testes radiológicos. Testes são realizados para descartar outras doenças que podem estrear em uma maneira similar: hemograma completo, VHS, proteína C - reativa, fígado e amostras de rim, músculo da enzima CK, LDH, soro eletrólitos sódio, potássio, cálcio, magnésio, especialmente hormônios-tireoide, fator reumatoide e anticorpos antinucleares somente se os sinais e sintomas são sugestivos para lúpus, poliartrite ou dosagem de vitamina d.fibromialgia dor-de-tampaPara um diagnóstico adequado devem ser excluídas doenças inflamatórias, tais como artrite reumatoide, reumático Lúpus eritematoso sistêmico, polimiosite, polimialgia, etc., doenças endócrinas, infecções, neoplasias malignas. Na fibromialgia todos os testes acima mencionados são geralmente na faixa normal. Muito grande cuidado deve ser tomado quando testes desnecessários e o fator reumatoide, anticorpos antinucleares, na ausência de manifestações clínicas sugestivas, arqueólogos que ambos os testes podem ser positivos em um número significativo de pessoas saudáveis.

O diagnóstico de fibromialgia

Fibromialgia: diagnóstico, reumatologista médico baseia-se em 1990 ACR critérios para a classificação da doença (critérios projetados principalmente para ensaios clínicos, para selecionar populações de pacientes homogêneas).

Em tempo eles vieram na prática clínica, mas há um certos limites destes critérios, principalmente relacionadas com a variabilidade da doença da paciente para paciente e do mesmo paciente de dia para dia. De acordo com estes critérios, o paciente com fibromialgia deve apresentar dor durando mais de três meses, em ambos os lados do corpo, o direito e esquerdo e classe baixa, incluindo e o esqueleto axial (cervical, torácica coluna, lombar).dolorosa fibromialgia detail_fibromyalgia 18 pontos

Você também precisa apresentar dor pelo menos 11 dos 18 pontos, palpar o médico. Estes pontos são distribuídos simetricamente em ambos os lados do corpo ao nível do: occiputului, cervical, supra-espinhal, trapézio, anterior lateral Costa 2, cotovelo, quadril, joelho de glúteo, medial lateral.
Existem controvérsias aqui variável pressão aplicada quando os médicos examinaram o paciente, que a dor de pacientes com fibromialgia não está limitada somente a estas áreas testadas e também o fato de que existem pessoas que não sofrem de fibromialgia pode sentir a dor da pressão. Outro problema dos critérios ACR é tão velho não inclui os principais sintomas da doença tais transtornos como sono, fadiga ou depressão.

Os novos critérios propostos de continua diagnóstico a dor transmitido duram mais de 3 meses, mas substituíram os pontos dolorosos com uma lista de sintomas, você precisa ser confirmada pelo paciente e médico se formou, incluindo dor difusa index (índice de dor generalizada-WPI) e a gravidade dos sintomas de escala (escala de severidade de SSS-sintoma). Em WPI-o paciente é feito para indicar áreas de máxima, 19, na semana passada, cada área receptora de 1 ponto. SSS-4 categoria-não-refrescante de sono, fadiga, distúrbios de sintomas somáticos e cognitivos (cardiovascular, digestivo, urinário, etc) eu ganho pontos de 1-3 (0-não 1-sintomas, piscando luz, 2-moderado, 3-persistente, grave), acumulando um máximo de 12 pontos. WPI diagnóstico deve se sobre 7 e SSS 5 ou WPI entre 3-6 com SSS mais 9.

Tratamento

pronatura-fibromialgia-sintomasNão existe tratamento para curar a doença. O objetivo do tratamento é reduzir os sintomas e melhorar a saúde. Uma correta abordagem envolve o uso de métodos não-farmacológicos e farmacológicos dependendo da intensidade da dor e sintomas associados. Métodos não-farmacológicos incluem: hidrokinetotherapy, formou-se exercício, técnicas de relaxamento, massagem, fisioterapia, psicoterapia e terapia cognitivo-comportamental.

O paciente deve ser informado que é possível que inicialmente, o início exercícios, a dor para se tornar mais pronunciados. O trabalho não deve ser interrompido, no entanto. Existem estudos que mostram que os pacientes com fibromialgia que se movem (ginástica aeróbica, ginástica em água-bacias com água morna, alongamento, nadar, caminhar ou andar de bicicleta), têm uma melhor evolução.

Um papel importante no tratamento da fibromialgia: tem do próprio paciente. Ele deve adotar um novo estilo de vida, tentando evitar o stress, para dedicar tempo suficiente para descansar e dormir, continuar ou começar um programa de exercício físico regular (juntamente com fiziokinetoterapeutul conceber um plano de exercícios que podem ser executadas em casa), para manter uma alimentação saudável.

Terapias alternativas parecem desprovidos de riscos e podem ser consideradas como terapia adjuvante no controle da dor e o nível de estresse: acupuntura, qigong, ioga e tai-chi. Tai-Chi pode ser uma solução para pessoas que não conseguem fazer o exercício mais intenso.

Tratamento farmacológico varia de acordo com as manifestações clínicas.

Para controle da dor, usando analgésicos-acetaminophen (paracetamol), com ou sem tramadol, não-esteroides anti-inflamatórias (por exemplo, naproxeno, ibuprofeno, etc.). Não se recomenda usando glucocorticoizilor e opioides fortes. Também não existem estudos apoiando os benefícios do uso a longo prazo de antiinflamatoarelor não-esteroides.

Para dor e fadiga podem usar inibidores da recaptação da serotonina de antidepressivos- e noradrenalina-Duloxetine, Milnacipran, antidepressivos tricíclicos-amitriptilina, inibidores seletivos da recaptação de serotonina fluoxetina-para melhorar o sono. O efeito dos antidepressivos tricíclicos em fibromialgia é independente da ação antidepressiva, doses menores sendo usados (por exemplo, amitriptilina 25 mg por dia).

Infelizmente as reações adversas digestivas e reduzir o uso desses medicamentos neuropsiquiátricos. Inibidor de dupla da recaptação da serotonina e norepinefrina têm aparência semelhante eficiência com antidepressivos tricíclicos, sem reações adversas. Os efeitos colaterais mais comuns são náuseas e dor de cabeça. Duloxetine é administrada por via oral por dia inicialmente, cate: ativo: após 1 semana dose pode chegar a 60mg/dia. Milnacipran é dada a todos a forma quantos oral 25 mg/dia, e depois 25 mg duas vezes uma dose de dia e de manutenção é de 50 mg 2 vezes ao dia. Ambas as drogas foram aprovadas nos Estados Unidos para o tratamento da fibromialgia:.

Anticonvulsivantes-gabapentina, pregabalina são usadas para controlar certos tipos de dor, incluindo o de fibromialgia pregabalina-ser o primeiro medicamento aprovado nos EUA para o tratamento da fibromialgia:. Eficácia destes medicamentos é devido ao efeito de Alpha2 subunidades delta cálcio canal voltagem dependente do nível de neurônios. A consequência é uma redução na penetração de cálcio de células nervosas e perda secundária de neurotransmitatoare, bem como a liberação de glutamato e substância p.

Outras drogas encontraram na lista de tratamento EULAR (Liga Europeia contra o reumatismo) da fibromialgia: são: agonista da dopamina Pramipexole-(atos como a dopamina no cérebro) sendo uma droga usada principalmente em Neurologia para tratar a doença de Parkinson, antagonista do receptor de serotonina-Tropizetrona, primo de Ondansetron, usado principalmente como um emético (para tratar náuseas e vômitos após a quimioterapia), com efeito analgésico.

Fibromialgia: Evolução, complicaçõesFibromialgia

Em geral, a fibromialgia é uma condição crônica, com o tempo, não há tratamento curativo. Estudos têm demonstrado que o tratamento pode melhorar significativamente os sintomas e a qualidade de vida destes pacientes secundário.

Fatores que predizem um mais graves são a presença de um gatilho de evento traumático físico ou psíquico, incapacidade grave, o tratamento receberam em unidades especiais (como pacientes contra integrado na Comunidade ter uma melhor evolução), o grande número de médicos que consultei o paciente até o diagnóstico (envolve um atraso no diagnóstico e tratamento).

Embora os sintomas da fibromialgia varia como a intensidade e gravidade, alterando a função física e impacto emocional da doença diminui a qualidade de vida em quase todos os pacientes. Quase metade dos pacientes com fibromialgia dificuldade para realizar atividades diárias-exigem mais tempo para mobilizar-se pela manhã, é difícil de realizar atividades que envolvem levantamento de peso ou movimentos repetitivos, sustentados, curta distância para ir mais alto.

Alguns pacientes chegam para escapar de objectos leves e mão ao medo de movimento. Quase um terço é forçado a desistir ou mudar de emprego. Apoio familiar, falta de amigos e íntimos tem um impacto negativo sobre a evolução da doença.

Recomendações médicas

Como mencionado a fibromialgia é uma condição crônica na qual a remissão dos spontanta raramente aparece. É por isso um papel muito importante na evolução da doença, educar o paciente tem. Ele precisa entender que, embora a doença é longa, você pode ter uma boa qualidade de vida, adotando uma atitude positiva e desenvolvendo juntamente com maneiras de especialistas para lidar com o sofrimento.

Não há nenhum tratamento único para todos os pacientes com fibromialgia. A abordagem correta é a que envolve uma equipe multidisciplinar de especialistas. Uma atitude negativa para a falsa esperança do paciente e que uma certa droga irá resolver todos os sintomas da doença, escurecer o prognóstico.

Reumatologista, psiquiatra, psicólogo, médico de reabilitação e futebol

-Analgésicos: Paracetamol, agentes anti-inflamatórios não-esteroides: Tramadol, ibuprofeno, naproxeno, diclofenaco, Aceclofenac, etc.
-Antidepressivos: Amitriptilina, fluoxetina, Duloxetina, Milnacipran
-Anticonvulsivantes: Pregabalina
-Antiparkinsoniene: Pramipexole
Suplementos naturais: Sinohial, Probioflora (pótratar a flora intestinal para a regulação da imunidade), Rheumaflex creme, gel, spray e cápsulas, Rattle & ginseng, Passiflora, Alecrim.

Qigong Fibromyalgia aqui Dieta aqui e Acupuntura.

0 respostas

deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *